Boletim Jurídico – Publicações OnLine

Boletim Jurídico – Publicações OnLine
Direito Constitucional / Notícias

TJGO – Município terá de assistir idosa em situação de abandono

O município tem o dever de zelar pela dignidade de idosos que se encontram em profundo estado de miserabilidade e abandono. Esse é o entendimento da desembargadora Elizabeth Maria da Silva (foto) que, em decisão monocrática, manteve sentença do juiz da 2ª Vara Cível, Fazendas Públicas, Registros Públicos e Ambiental de Mineiros, Fábio Vinícius Gorni Borsato. O magistrado havia reconhecido o direito de uma idosa de receber medicamentos, além de cesta básica e um botijão de gás por mês e condenou o município a higienizar e reparar a residência da mulher.

A prefeitura recorreu alegando que não possui o dever de promover as medidas, já que as providências não estão inseridas em nenhum programa público. Também requereu a cassação ou reforma da sentença por argumentar que ela “implica ofensa ao princípio de independência dos poderes e da reserva do possível”.

No entanto, a desembargadora entendeu que a inexistência de programa social específico “confirma a omissão abusiva e ilegal, que deve ser prontamente reparada pelo Poder Judiciário”. Ela também esclareceu que é “missão” do Judiciário a proteção dos direitos reconhecidos pela Constituição Federal (CF), “daí não há se falar em intromissão no âmbito de competência da administração pública”.

Dever do Município
De acordo com a magistrada, o poder público municipal tem o dever de tomar as providências necessárias para restabelecer a dignidade da idosa. Isso porque, o artigo 230 da CF e o Estatuto do Idoso prevêem “ampla gama de deveres ao poder público concernente em medidas protetivas ao idoso”. (Texto: Daniel Paiva – estagiário do Centro de Comunicação Social do TJGO)

Tags: TJGO

Vantagens Publicações Online

Siga nosso twitter Acesse nosso facebook Fale Conosco